Hino do Município

Arraias minha altaneira,

Idílio de amor em teu luar!

Nobre, feliz alvissareira,

Hei de rever-te, te abraçar.

És do Tocantins a jóia rara

Teu sol luzente no arrebol

Refulge em pedraria cara

O ouro fulvo do teu sol.

Arraias, és bela e sedutora,

Poema de gozo em solidão.

És simples, nobre, encantadora,

És grande de alma e coração!

Tua água, ó biquinha, benfazeja

Teu gosto é milagroso ao paladar.

Aquele que te prova só deseja

A Arraias, feliz, sempre voltar!

Arraias minha! Arraias bela!

Terra de afeto e dileção

Tu tens do jovem, da donzela,

Todo o encanto e sedução.

Sussurra a brisa bem fadada

Na mais doce vibração

Tu és uma terra encantada

De um povo hospitaleiro e irmão.

Arraias, ninguém te esquece

Tua graça, teu viço sem igual

Relembra a velha serra que parece

Um guardião a cuidar-te, paternal.

Tuas noites tão formosas celebradas

Em rodas, bacondês, ó, dias meus!

Nas noites arraianas encantadas

Nossa alma se recolhe e sobe a Deus.

Igrejinha do Rosário, ainda te vejo

Na lembrança, com saudade e ternura.

Pra mim há sempre o ensejo

De voltar à minha infância de candura.

Córrego Rico, em cujas águas tão lendárias

A lembrança do escravo se debruça,

Acalentando a velha rua solitária,

Onde a alma do passado ainda soluça.