História da Cidade

O Município de Arraias localiza na Região Sudeste do Estado do Tocantins, limita - se ao norte com os Municípios de Paranã - TO e Conceição – TO, ao sul com Campos Belos – GO, a leste com Combinado – TO e Novo Alegre- TO e a oeste com Cavalcante- GO e Monte Alegre- GO. Possui clima tropical úmido com duas estações distintas, a da seca e a das águas. A primeira varia entre os meses de maio a novembro e a segunda de dezembro a abril. Possui temperatura média entre 21º a 27º graus, máxima de 27º a 36º graus e mínima de 15º a 21º graus, com temperatura mais fria nos meses de junho e julho. O relevo é formado pelo planalto do Sul do Tocantinense. Há predominância de áreas inclinadas ou colinosas, com declives suaves, o território também é composto por áreas íngremes e montanhosas. Com extensão territorial de 5.787 Km2, altitude de 580 metros acima do nível do mar, com uma população segundo dados do IBGE 2010, de aproximadamente 11.645 habitantes. As primeiras habitações do território deste município decorreram habitações do território deste município decorreram da descoberta de riquíssimo garimpo de ouro, na Chapada dos Negros, a 3 quilômetros da atual sede municipal. Em 1736, deram-se as primeiras entradas de grandes contingentes de escravos procedentes, provavelmente, da Bahia, tendo em vista os costumes e tradições baianas de seus moradores. Em 1740, D. Luís de Mascarenhas, Governador da Capitania de São Paulo, em viagem de Vila Boa a Natividade, para pacificação política norte e nordeste de Goiás, fundou um novo “arraial”, efetuando a transferência da povoação “Chapada dos Negros” para a nova sede do povoamento, com a ajuda do Capitão Felipe Antônio Cardoso e os negros escravos. Traçado o arruamento e efetivadas as primeiras habitações, o arraial recebeu a denominação de “ARRAIAS”, atribuído à espécie de peixes de ferrões peçonhentos encontrados no ribeirão do mesmo nome, nasce próximo à cidade. Consta, também, ser esse originário de um “presente irônico do adversário político de Paraná (ex-Palma) ao Capitão Felipe Antônio Cardoso, como peixes exóticos e raros do rio Paraná”. Em 1792, como a descoberta do novo garimpo de Ouro Podre, nas proximidades do arraial, acelerou-se a entrada de imigrantes e aventureiros, sem autoridades, alcançando numa só noite, às escondidas, extração de 3 arrobas de ouro, fato que foi denunciado, causando numerosas mortes e prisões. Elevado à categoria de vila com a denominação de Arraias, pela Resolução do Conselho do Governo de 01-04-1833. Instalado em 03-02-1834. Sede na povoação de Arraias. Distrito criado com a denominação de Arraias, pela lei provincial nº 14, de 23-07-1835. Pela lei provincial ou Resolução provincial nº 12, de 31-07-1852. Transfere a sede municipal da povoação de Arraias para a de Arraial do Morro do Chapéu ou Arraial de Santo Antônio do Morro do Chapéu com a denominação de Monte Alegre. Pela municipal nº 5, de 02-08-1953, e lei provincial nº 338, de 31-07-1852, a sede do município volta a chamar-se Arraias. Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, a vila é constituída do distrito sede. Elevado à condição de cidade com a denominação de Arraias, pela lei estadual nº 501, de 11-08-1914. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído do distrito sede. Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município aparece constituído de 3 distritos: Arraias, Campos Belos e Chapéu, sendo que Arraias adquiriu o extinto município de Chapéu. No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 3 distritos: Arraias, Campos Belos e Chapéu. Pelo artigo 62 do ato das disposições territoriais de 20-07-1947, desmembra do município de Arraias os distritos de Chapéu e Campos Belos, para constituir novamente à categoria de município. Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisões territoriais datada de 1-VII-1960. Pela lei estadual nº 10, de 20-09-1965, foram criados os distritos de Cana Brava e Novo Alegre e anexado ao município de Arraias. Em divisão territorial datada de 31-XII-1968, o município é constituído de 3 distritos: Arraias, Cana Brava e Novo Alegre. Assim permanecendo em divisões territoriais datada de 1-I-1979. Pela lei estadual nº 9189, de 14-05-1982, é criado o distrito de Combinado Agro-Urbano de Arraias (ex-povoado) e anexado ao município de Arraias. Em divisão territorial datada de 1-I-1979, o município é constituído de 4 distritos: Arraias, Cana Brava, Combinado e Agro-Urbano de Arraias e Novo Alegre. Pela lei estadual nº 10402, de 30-12-1987, desmembra do município de Arraias os distritos de Combinado Agro-Urbano de Arraias, elevando-os à categoria de município com a denominação de Combinado. Em divisão territorial datada de 1988, o município é constituído de 3 distritos: Arraias, Cana Brava e Novo Alegre. Pela lei estadual nº 251, de 20-02-1991, alterado pela lei estadual nº 498, de 21-12-1992, desmembra de Arraias o distrito de Novo Alegre. Elevado à categoria de município. Em divisão territorial datada de 1988, o município é constituído de 2 distritos: Arraias e Cana Brava. Assim permanecendo em divisões territoriais datada de 2007. Conhecida como "Cidade das Colinas", Arraias é cercada por muitas destas formações dentro do município. Na arquitetura da cidade predomina o estilo colonial português. Nas casas mais antigas, pode-se encontrar as iniciais dos patriarcas das famílias que as construíram e o ano em que foram construídas. A cidade tem um grande potencial turístico ainda inexplorado. Locais como a Gruta da Fazenda Furnas, as ruínas da Chapada dos Negros, eventos religiosos, o carnaval "inocente" e um contato muito forte com quilombolas, além dos jarros brancos de artesanato típicos de Arraias ainda não despertaram o interesse de empresários que possam alavancar o desenvolvimento da região.